Mudar dói

Mudar dói…

Sabe, eu sempre gostei de mudanças, talvez por isso escolhi o jornalismo: nenhum dia é como o anterior. As mudanças sempre me fizeram bem, sempre gostei de passar temporadas fora de casa, conhecer lugares novos, nunca me foi um problema o ” não dormir com meu travesseiro”. As mudanças, a falta de rotina sempre foram coisas que me deixavam ainda mais viva. O problema é que a vida também tem pegadinhas e entre todas as peças que ela nos prega, uma que tem me feito cair toda vez é aprender que as mudar dói, mudar é legal mas exige uma renúncia e renunciar é dolorido.

O tempo passa e você descobre que pra que haja realizações, sonhos concretizados e a vida ande é preciso mudar. É preciso entender que a mudança nos aprimora, amadurece e revela. A mudança dói. Dói porque sempre imaginamos as coisas como um mar inacabado de rosas e ops, a vida não é bem isso. Às vezes ela é meio rude sabe? Mas ainda assim continua sendo boa. Boa porque toda dor traz um ensinamento. É boa porque a mudança é constante e o que foi mudado ontem hoje é ensinamento, amanhã muda de novo e a dor daqui já foi superada, vivida, relevada, aprendida…

Sabe, a vida cobra pra que a gente amadureça e ela cobra mais ainda pra que a gente mude. Porque mudar faz a gente mais vivo, mudar faz a gente mais novo sabe ? Toda dor revela a profundidade e a disponibilidade que nós temos pra viver nosso sonhos. E se não for pra isso, por quê então ? Se não for pra lutar até esgotarem as forças, então porque continuar? E mais, se não for pra continuar mesmo sem forças, mesmo que doído, mesmo que sem perspectiva, será que teríamos chegado até aqui ?

Mudar dói mas olha, se for pra nos fazer melhor, então que doa!