Ser leve

Um belo dia você entende que a vida é feita de sentimentos resolvidos e que não precisa ser dificil e nem sofrido, mas que quando é pra ser, é leve.

Leve o suficiente pra não ter joguinho, nem orgulho e nem brigas por qualquer coisa. Mas nem tão leve que não dê frio na barriga. Porque na verdade o que é desgastante uma hora cansa. Cansa ter que exigir do outro o que é pra ser natural. Mas às vezes o problema está na gente também. O problema está em insistir no que a gente sabe que não é pra ser, e talvez por ser o mais difícil, é o que a gente quer.

Parece que a gente gosta de sofrer. O mundo sorri a todo tempo e a gente insiste no que faz sofrer. A gente é mesmo bobo. Bobo de não ver o que está na cara e ir atrás do que está lá longe. O amor sempre está perto, mais perto do que a gente imagina. E ele sabe a hora de chegar e sempre será quando a gente menos espera. O amor é surpresa do início ao fim.

Surpresa é essencial pra que a vida não seja rotineira. É preciso se surpreender todo dia com o outro e isso, só se surpreendendo com você mesmo. Se surpreendendo com a sua capacidade de se enxergar no outro e ao mesmo tempo não se enxergar sem. Sem você, a sua personalidade própria e única, individual. Mas também não conseguir se enxergar sem o que você consegue ser quando está com o outro. Todo mundo desperta “alguém” no que a gente já é. Só cabe a nós escolhermos alguém que nos torne leve.