Uma história que ninguém vê

 A menina quase chorava no telefone , engolia em seco , olhava pra um lado , abaixava a cabeça . Não entendia o que estava acontecendo .Laura desligou o telefone . Parou de caminhar . Pôs a mão na cabeça , fez um coque nos cabelos longos . Se jogou na grama coberta de florzinhas amarelas naquela praça , perto daquele banco .

  O menino de livros nas mãos e óculos grosso ficou encantado com a sua beleza . Mas , nossa , aqueles livros que ela tinha do lado eram muito bons ! Mas ele tinha pressa , não podia parar pra conversar .

  A senhorinha de cabelos branquinhos e passos curtos parou pra perguntar se estava tudo bem . Laura apenas sorriu . A senhorinha não entendia os jovens . Como podiam se sentir a vontade jogados daquele jeito , sem postura nenhuma !

  A menina loira de saia curta , olhos azuis e cabelos perfeitamente arrumados nem olhou para Laura . Na verdade olhou , mas Laura não era interessante pra ela . Ela precisava correr pra chegar no horário na manicure . Gente , como aquela manicure é boa ! Quase não se consegue horário com ela …

 Laura não parecia muito feliz , nem muito triste . Ás vezes não parecia nem estar ali .

O menino de camiseta apertada , um que Laura sempre olhava de canto de olho , olhou pra ela e estufou o peito . Foi lá e perguntou se estava tudo bem . Laura quase teve um ataque do coração e disse que sim , estava tudo bem , só queria ficar ali sozinha e pensar um pouco na vida . Ele deu uma piscadinha e saiu de perto .

Um músico de rua que passava pelo outro lado da praça e a viu deitada veio em sua direção e sentou do seu lado e tocou uma musica com gaita . Falou-lhe sobre a vida , sobre os passáros e sobre como é difícil ser músico enquanto Laura , em momentos certos , sorria . O músico não se atrasou muito ali e nem lhe fez muitas perguntas , parecia apenas ter alguém para lhe ouvir .

  O senhor do picolé , que já havia passado com seu carrinho de sorvetes uma dúzia de vezes , sentou ao lado de Laura . Laura olhou-o e voltou a olhar pro céu . E ele ficou ali por alguns minutos , talves muitos minutos . E Laura olhava pro céu . O senhor pegou os livros e a mochila e colocou mais perto do corpo da menina  , jogado na grama . Falou-lhe que sabia que algumas vezes as coisas são complicadas mas que uma hora tudo dá certo , ah se dá ! Olhe pra mim , consegui comprar meu carrinho de sorvetes . Laura sorriu . E ele percebeu que o sorriso de agora era de verdade , não aqueles outros que direcionou a tantas pessoas que ali passaram . Laura se sentiu segura com aquele senhor . Ele lhe abraçou e lhe disse pra que não se escondesse da vida não , pra parar de ser boba . Pra falar umas verdades , pra não deixar nada engasgado em sua garganta . Abraçou-a de novo e pediu pra que levantasse.

 Laura sentou na grama , arrumou os óculos no rosto e levantou . Ajeitou o vestido florido e coçou os olhos . Pronto , precisa falar pro namorado quem ali que mandava na relação .

A princesa e o plebeu

princesaeplebeu    Ela era uma princesa . Ele estava mais para plebeu . Ela vivia um conto de fadas enquanto ele vivia no mundo real . Ela queria ser famosa. Ele queria curtir a vida . Ela era pura enquanto ele amava o pecado . Ela gostava de branco já ele preferia o preto . Ela preferia o dia enquanto ele , sem dúvidas, escolheria a noite .

    Se conheceram em um jardim encantado qualquer enquanto ela atraia todos os olhares os olhos dele não se desviavam dela . E no meio da multidão havia alguém diferente para ambos . Por ele , ela buscaria a agressividade e por ela , ele buscaria a delicadeza.

    Para ele era sonho enquanto ela achava errado . Pelos bosques mágicos suas vidas se esbarravam , pela diferença eles achavam o igual , pelas vielas eles conectavam suas vidas . Estava tudo tão próximo , tão certo , tão feito , tão pronto mas de repente um barulho , um erro , uma guerra . Uma guerra nela . Um erro dele . Uma luta entre virtudes e costumes . Uma guerra em que ele lutava por ela . E ela lutava pela igualdade onde só havia diferença .

    A vida voltaria a ser normal para os dois . Ela voltaria para o seu lugar de conforto , para uma vida delicada e receberia atenções enquanto ele voltaria para a periferia , para uma vida agressiva e agitada em que sua única vontade seria se divertir .

    Ele deixaria marcas nela e passaria a procurá-la em todos os olhares .Se veriam as vezes , viveriam sobre a mesma luz . Isso é tudo e era tudo que havia entre os dois em comum .