Dicas de viagem – Visto & passaporte

Nessa série de dicas de viagem achei importante falar sobre vistos e passaporte. Bom, o que você precisa saber é que eu posso te falar dos lugares que já conheço mais uma vez. 

Passaporte

O primeiro passo é sempre fazer um passaporte. Mesmo que alguns países não exijam o documento, considero importante porque com ele nunca tem problema de identificação. Países do Mercosul não exigem passaporte e é possível visitar só com identidade. Porém é aconselhável, se for possível e viável pra você, preparar o passaporte. 

O processo é simples, porém pago. 

Primeiro você vai precisar acessar a plataforma do Governo Federal – Passaporte. Lá você preenche uma guia e marca atendimento. Dica importante: fiz em São Paulo, capital e em Varginha, no Sul de Minas quando venceu. São Paulo é demorado e muito lotado, em Varginha gastei menos de 5 minutos. Então procure lugares e cidades que possam ser menos lotados, vale a pena. 

Acontece que pra marcar o atendimento é preciso pagar uma guia para a união de 260 reais. Você também vai precisar separar RG, CPF, Comprovante de residência, Certidão de nascimento,  título de eleitor e comprovante de votação da última eleição, primeiro e segundo turno. Para fazer o agendamento é só entrar aqui.

Com os documentos em mãos e agendado o atendimento você precisará apenas estar na hora marcada com o comprovante de pagamento da guia. Lá, pegarão seus documentos e depois te encaminharão para conferir os dados e tirar uma foto. Pronto. Agora é só voltar dali 12 dias para a retirada do passaporte. Atenção: a retirada é feita somente por você com o protocolo do último atendimento, pois você precisará assinar o documento. 

Visto

Depois do passaporte, se sua ideia é viajar pros EUA, o próximo passo é tão temido visto americano. Calma, não é bicho de sete cabeças, você precisa apenas de atenção. 

Primeiro vai preencher uma guia no site da embaixada americana, o chamado DS-160 – clique aqui para abrir a guia do site americano. Essa guia terá seus dados e algumas perguntas sobre você ser ou não terrorista. Também será gerada uma guia de pagamento só que essa é mais cara, de U$160 dólares. Isso, varia de acordo com a cotação mas de acordo com uma cotação do dólar a 4 reais, daria 640 reais. Salgado, né?

Depois da guia paga você consegue agendar a entrevista no consulado americano. O problema do visto, além do valor alto da guia, é que o processo é mais demorado. Serão dois dias em lugares diferentes para entrega de documento e entrevista. 

No primeiro agendamento você precisa levar todos os documentos solicitados, guia paga e esperar em uma fila para que seja chamada, os documentos sejam checados e uma foto seja feita. 

No segundo agendamento é a tão assustadora entrevista com o consulado americano. Lá irão te perguntar coisas da sua vida, propósito de conseguir o visto e coisas nesse sentido. Dica importante: leve documentos que comprove a sua necessidade de voltar ao Brasil, passagem de ida e volta, endereço de hospedagem no país. Ficar calmo também é importante porque eles realmente só querem saber seu propósito em ir pra fora do Brasil, se houver dúvidas sobre as possibilidades de volta ao Brasil, é claro que o visto pode ser negado. 

Depois da entrevista, o entrevistador vai informar se a solicitação do visto foi concedida ou não. Então é só esperar o documento chegar na sua casa. 

E aí, alguma dúvida sobre esses processos?

Dicas de viagem – Aéreo & hospedagem

Muitas pessoas me perguntam coisas sobre viagens e tudo mais. Se você me acompanha, sabe que já fui pros Estados Unidos duas vezes, uma pra Buenos Aires e agora estou passando um pouco mais de tempo em Buenos Aires, você pode entender melhor aqui.

Com isso, muitas pessoas me perguntam sobre como fiz e como consigo realizar essas viagens. O primeiro ponto é: muita pesquisa. Viajar pro exterior pode ser um sonho que parece distante, mas com planejamento não é impossível.

Planeje custo e trace metas da viagem

A primeira coisa que você deve fazer é planejar seus custos, óbvio. Se você ainda não tem um destino em mente e está planejando apenas fazer uma viagem te digo que você está com vantagens! Isso porque assim é possível encontrar destinos mais viáveis financeiramente que podem ser tão legais quanto os mais caros.

Pra isso é importante sempre analisar a moeda do país de destino e também traçar quais suas metas de viagem. Por exemplo, se seu foco é comprar coisas, a Argentina, apesar de um país com ótimo custo é uma péssima escolha. Por quê? Bom, porque a economia Argentina está de mal a pior, isso quer dizer que eles estão com muitas dificuldades de exportação e importação então não há uma quantidade muito grande de produtos comercializados. Se, entretanto, sua ideia for comprar artesanatos e produções locais no lugar das marcas, é sim uma ótima pedida.

No quesito compras no exterior, os Estados Unidos, obviamente, ganham em disparado. É claro que o ponto negativo é a alta crescente do dólar e que v ai te fazer converter tudo. Nesse caso a dica é: separe DINHEIRO para controlar os gastos e no caso de países mais caros, NUNCA use cartão de crédito.

Clima

Ah, algo muito importante: procure épocas que favoreçam. Ir pros Estados Unidos no frio pode ser lindo mas já pensou que talvez você não consiga sair de casa nessa época? É importante se atentar a isso.

Busca por passagem aérea e hospedagem

A busca de passagem aérea é algo que merece atenção redobrada. O clima é um dos fatores que pode alterar os preços das passagens. Algo muito óbvio é que em períodos como janeiro, julho, agosto e dezembro as passagens são mais caras.

O ideal para os Estados Unidos é entre Setembro e Novembro, acredito eu pelas minhas pesquisas de preço haha

A Argentina em contrapartida é sempre uma boa pedida porque os valores são baixos comparados a outros lugares, até mesmo em época de férias. Uma amiga pagou por uma passagem de São Paulo a Recife, nordeste do Brasil, em uma viagem de 20 dias o mesmo que paguei por uma viagem de São Paulo a Buenos Aires, em uma viagem de 2 meses com mala de 23 kg despachada.

Essa é a comparação que gosto de fazer sobre a Argentina: passagem área e hospedagem são bem baratos e os valores podem ser muito atrativos tratando-se de viagens de curto período. Quando fiquei quatro dias em Buenos Aires paguei coisa de 1000 reais em um pacote de viagem de incluía passagem+mala despachada+transfer do aeroporto+ hospedagem com café da manhã pelo site Hotel Urbano. Ou seja: compensa MUITO!

Mala despachada e bagagem de mão

Estou falando sobre mala despachada porque é um item que merece atenção. Atualmente, a maioria das companhias não dão mala despachada mais, ou seja, você pode levar apenas uma mala de mão de 10 kg. Para viagens curtas é super ok (aprendi só depois), mas pra viagens mais longas, como a minha de dois meses em época de frio é impossível. Por isso, se você for passar mais tempo fora, atente-se a esse quesito.

Para procurar passagens use ferramentas como: Decolar, Skyscanner e TurismoCity que podem te ajudar a achar o melhor preço. Ainda assim, se possível, procure uma agência já tendo mais ou menos o vôo e a companhia pesquisadas por essas ferramentas antes. Se você conseguir, pagar em dinheiro pode melhorar e muito o preço pago. O lado ruim é que você não terá milhas, mas vale a pena colocar na balança.

Hospedagem

Esse detalhe é muito importante. Como disse, fui pros Estados Unidos duas vezes, mais precisamente pra Orlando duas vezes!

Na primeira ficamos em um hotel onde o quarto era ótimo, praticamente um apartamento. Dois banheiros, dois quartos, sala de estar e mini cozinha. Era realmente ótimo mas era muito longe de tudo que precisávamos e de tudo que deveríamos ir. O lado positivo é que era do lado de um Aplebess então dava pra jantar ali.

Da segunda vez ficamos em um hotel na International Drive, uma das avenidas principais de Orlando e perto de absolutamente tudo. Em contrapartida, o quarto era bem pequeno.

Em Buenos Aires tivemos muita sorte. O hotel era na Avenida 9 de Julio, em frente o Obelisco e perto de todos os pontos turísticos. Fizemos tudo a pé. Dava pra ir na Casa Rosada, Porto Madeiro, Show de Tango, Recoleta e tudo mais somente andando um pouco. O quarto também era pequeno.

Pesando essas experiências na balança considero que um quarto confortável e grande é ótimo mas uma localização boa é muito melhor! Por isso, tente pesquisar ao máximo a localização de onde irá ficar pra conseguir diminuir os gastos com transporte por exemplo. Pra uma viagem a Buenos Aires eu aconselho MUITO esse hotel que fiquei, além da localização incrível, é do lado de um Starbucks e o preço é ótimo com um café da manhã simples e gostoso incluído. O nome do Hotel é Globales Republica.