Ansiosa, prazer eu!

Ser ansiosa é acordar de manhã sem querer levantar da cama porque o mundo parece perigoso demais e você se sente incapaz demais de viver em um mundo tão inconstante. Por mais que você saiba que também seja inconstante. O fato é que você tem medo de sair na rua, medo de não conseguir cumprir as tarefas do dia, medo de não suprir as expectativas, medo de encontrar pessoas na rua e ter que parecer calma. Porque no fundo ninguém quer transparecer ansiedade.

Ser ansiosa é também ter uma pressa pra sentir e viver tudo, e um medo intenso de que não sintam e não vivam como você. Por mais que você saiba que não deve colocar suas expectativas em outros. Mas você continua mergulhando de cabeça e indo mais fundo e cada vez tendo mais medo de até onde pode chegar e até onde pode se quebrar e até onde vai se construir e destruir e reconstruir de novo.

Ser ansiosa é se sentir completamente aflito por sair de casa, por mais que seja ir para lugares que você queira com pessoas que você ama. Sair de casa é ter que enfrentar pessoa, ter que enfrentar pessoas é possivelmente ter crises de ansiedade então, na maior parte do tempo, você prefere se esconder e se proteger das suas próprias reações.

Ser ansiosa é ter a completa certeza que nada vai dar certo e além disso, caminhar pra tentar se recuperar do tombo que nem levou ainda.

Ser ansiosa é não conseguir dormir por pensar tanta coisa junta que uma atropela a outra e você não consegue desligar. As vezes também não consegue comer, ou come em excesso pra tentar se manter ocupado.

Eu sou ansiosa e isso faz parte de mim

Além disso, entre as piores coisas da ansiedade são os sintomas físicos: crises de ansiedade. Elas envolvem coração disparo, pensamentos confusos, dor de cabeça, dor de estômago, tremedeiras e mais tantas coisas que poderia escrever um artigo completo. Mas é importante reconhecer a ansiedade não como algo normal, uma reação comum. E sim como uma doença paralisante e desgastante, porque ela de fato é. Ela basicamente representa uma batalha constante com um ser que mora dentro de você e que mais precisamente corre dentro do seu coração enquanto amarra nós em sua garganta.

Mas deixa eu te falar a parte boa disso: das suas feridas saem cura. E por mais que você passe a entender que vai conviver com isso pra sempre, você entender que pode ser algo saudável. Algo que não te impeça de fazer coisas. Por mais que conviva com recaídas pelo caminho: elas são normais e tá tudo bem.

A ansiedade é meio paralisante mesmo. Mas com o tempo você aprende lidar e a ver que todas as suas inseguranças, com os medos quase que incontroláveis e com o desespero de saber que nada está sob controle. No final das contas você percebe que faz parte e que você vai conseguir mais uma vez.

Só uma coisa é importante: Não deixe que a ansiedade te defina e muito menos que ela te diga que as coisas nunca vão melhorar. Eu sei que é isso que ela sussurra aos seus ouvidos. E também que você é incapaz. Mas saiba que tá tudo bem. Sempre há tempo e há tempo de todas as coisas debaixo do céu. Você vai encontrar uma saída pra tudo e vai aprender a controlar esse medo.

Respira fundo e vai. 

 

Um comentário sobre “Ansiosa, prazer eu!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CommentLuv badge