Demi Lovato cantando em show

Demi Lovato e saúde mental #PrayForDemi

A Demi Lovato é uma das maiores artistas da atualidade. Ela começou tudo muito cedo. Faz parte do elenco da Disney Channel desde que era uma criança, começou muito cedo a fazer sucesso como atriz e cantora sendo ainda uma criança de 8 anos. Estourou com 17 quando foi protagonista da Camp Rock com os Jonas Brothers. Isso tudo parece ser incrível, afinal, quem não quer um pouco de fama e de sucesso – e dinheiro também ? Mas o fato é que não foi o sucesso que veio cedo. Vieram também as pressões, o contato com um mundo que seria muito melhor não ter conhecido. Vem o vazio também, as pessoas estão do seu lado porque gostam de você ou pelo que você pode proporcionar por causa da fama e do interesse que as pessoas tem em você ?

Quando eu paro pra pensar em famosos que tiveram problemas psicológicos, que surtaram de alguma forma eu penso que talvez isso aconteça porque nós não conseguimos enxergá-los como pessoas reais, que sentem dor, que sofrem… Tudo isso porque, na nossa cabeça, condição financeira compra saúde mental.

Demi Lovato e saúde mental

Eu sempre fui muito fã da Demi. Já até escrevi uma matéria pra uma Revista sobre ela, a matéria inclusive tá aqui no blog . 

No começo do blog também escrevi sobre ela aqui. Tudo isso porque pra mim ela sempre foi uma pessoa forte. Imagina só, uma menina que começou cedo uma carreira de sucesso passando pela adolescência – uma fase que nos questionamos quem somos, porquê e qual a nossa diferença no mundo – apegada ao pai que acaba escolhendo as drogas e bebidas no lugar da família? Imagina ainda uma adolescente de 17 anos que tem todos os olhos voltados pro seu corpo quando nem ela mesma se aceita? Imagina ter que ouvir: “Demi engordou. Da forma depreciativa como os tablóides de notícias fazem sendo que ela luta a vida inteira contra a bulimia nervosa?

O que nós não percebemos é que não importa quem somos, qual a posição social… Cada pessoa luta uma batalha que a gente não conhece. E saúde mental tem muito mais a ver com sentimentos internos do que externos. Não é sobre como as pessoas te vêm, é como você se vê e isso não tem a ver com outro. Por isso empatia muda o mundo. Quando paramos de julgar e passamos a abraçar as pessoas a percepção que elas tem delas mesmas, muda.

Deixo o documentário da Demi Lovato pra você entender um pouco mais sobre as batalhas e as lutas dela. É um documentário que fala sobre bulimia, transtorno bipolar, uso de drogas, abandono paterno, cobrança de perfeição. É realmente forte e pode mudar a sua percepção sobre os transtornos mentais.

 

Não seja um semideus

Você já parou para pensar que é humano? E que ser humano implica em errar, em cair, levantar e em seu vulnerável? Você já parou pra pensar que não é Deus e muito menos semideus – quase Deus ?

Acho que um dos maiores erros que a gente comete na vida é querer ser um semideus. Explico: nós passamos grande parte da vida querendo mostrar que não sofremos, que somos fortes, que as coisas não nos afetam, que estamos no controle de tudo, que aceitamos totalmente todas as coisas. Somos semideuses né ?

Só que o problema é que isso te afasta de Jesus e mais ainda das pessoas. Se somos tão autossuficientes, não precisamos de ninguém por perto, inclusive de Deus.

Nós nos aproximamos de Deus e das pessoas quando somos vulneráveis. A vulnerabilidade nos permite ser cuidados, tratados e libertos. A vulnerabilidade é saber que não, nós não somos auto-suficientes e nós precisamos do outro sim pra viver. Nós precisamos de atenção, ajuda, empatia. NÓS PRECISAMOS.

Vulnerabilidade nos ensina a amar mais as pessoas por saber que cada um tem suas batalhas, nós temos as nossas e cada pessoa tem a sua, mesmo que a gente não saiba. Vulnerabilidade é se mostrar humano pro outro pra permitir que ele se mostre humano pra nós também. Ninguém nunca vai se abrir com você se você for um poço de certezas e nunca demostrar enfrentar batalhas. “É melhor não se abrir pra alguém que tem tudo tão resolvido, que é quase Deus”, as pessoas vão pensar. Vulnerabilidade é o único meio de gerarmos cura.

Não temos motivo pra ser semideus

Se na Bíblia tá escrito que o choro pode durar uma noite mas a alegria vem pela manhã é porque VAI TER CHORO. Não tem como se livrar disso, mas é preciso chorar. É preciso se permitir sofrer de vez em quando. Não para sempre, mas de vez em quando é preciso sofrer. E tudo bem chorar de vez em quando, faz bem!

Deus nos fez pra ser humano, até Jesus, que era o próprio Deus em corpo de humano passou por aflições, chorou, perguntou pra Deus se tudo aquilo era preciso mesmo, se Ele teria realmente que passar toda aquela dor, aquela angustia e humilhação. Jesus foi humano. Porque nos vemos como semideus? E sabe, tá tudo bem ter dias ruins. Tá tudo bem se questionar as vezes porque isso faz parte de todo processo. Todo processo é necessário ser vivido. Toda dor precisa ser sentida pra gerar cura.

O amor vem devagar o resto é pressa

O amor vem devagar o resto é pressa. É isso, só isso.

Se causa turbulência, se causa bagunça, confusão e você não sabe como agir não é amor, é carência. Amor nunca vem pra causar dúvida, ele é um tiro certo, uma faca com a cerra afiada, uma verdade absoluta – mesmo que toda verdade seja absoluta e não dê pra ser verdade pela metade. Mas acontece é que a vida tá cheia de pessoas pela metade, de meias verdades, meios amores e quase certezas. Isso não é amor, é pressa ou desespero.

Pressa de não dar tempo e desespero de nunca encontrar alguém que seja sua verdade absoluta. Mas só tem esse medo quem não sabe ser sua própria verdade, quando você sabe quem é não precisa de outro ser humano pra te validar como pessoa, como amor. Essas coisas aí, de ter pressa, de amores que bagunçam servem pra quem não sabe o que quer ou não quer nada por enquanto e na verdade, até quando a gente pode aceitar ser a meia verdade de alguém? Tudo que é pressa, uma hora acaba. Até quando a gente pode aceitar ser o passatempo até ter certeza de quem não sabe nem o que é ?

O amor vem devagar.

Porque antes de tudo o amor é paciente, é benigno. Antes de tudo, o amor se alegra com a verdade e sem ele nada é possível, o amor é a maior de todas as coisas. O amor vem devagar. O amor vem devagar porque vem aos poucos. Conquista seu espaço com o intuito de não ir embora – mesmo que um dia vá. E tá tudo bem! Não é só porque acabou que não era amor, algumas coisas tem tempo pra durar e a maturidade nos faz entender e aceitar o tempo de tudo.

O amor é como um copo de café. Só pode ser bom se for quente. Mas ao mesmo tempo, se consumido rápido demais, queima. O amor é como um café que, aos poucos vai deixando seu gosto e esquentando. O amor, meu amor, vem devagar! Todo resto é pressa.

mulher aflita segurando as mãos

Hoje eu acordei aflita

Hoje eu acordei aflita. Foi mais um daqueles dias que minha amiga ansiedade esteve por perto. Em um primeiro momento eu pensei: estar aflita não é coisa de Deus não, o que eu posso fazer pra mudar isso?

Em uma resposta de oração Deus me disse: Tudo bem estar aflita, é que você não é daqui e as coisas desse mundo te assustam. Você está com saudade de casa.

E eu respirei aliviada: ufa, que saudade de casa. Saudade do colo de Jesus, mesmo que eu ainda O tenha todos os dias. Mas tem dia que a nossa alma grita e fica aflita não é? Mas é porque ela está cansada das coisas rasas que esse mundo nos oferece e busca pela profundidade das coisas de Deus. A verdade é que não há como viver em alegria plena nessa Terra. Porque não somos daqui, é bem simples.

Não que Deus não possa entregar felicidade e tranquilidade pro nosso coração. Mas é que as injustiças e confusões desse mundo não podem ser normais pra quem não é daqui e não se corrompe com as confusões desse mundo.

Tem dia que você vai acordar aflita.

E tudo bem desde que isso te faça lembrar que você não é desse mundo. E quando falo isso quero dizer que teu lugar é o céu não as coisas vazias que encontramos nessa Terra. Seu lugar é ao lado do Pai da criação, em um ambiente de amor e comunhão. Não a bagunça que encontramos aqui. Essas coisas não deveriam nos atrair e é por isso que nossa alma se aflige. Porque nada aqui nos é atrativo. Nossa alma não pode buscar as coisas que aqui nos são oferecidas porque daqui nada levaremos.

Não é um erro de caráter estar aflita. Não é falta de fé a ansiedade. Tá tudo bem. Você, como humana com o coração mais próximo de Deus, nunca vai entender porque as pessoas se contentam com o raso, porque as pessoas não mergulham no profundo e porque pra elas molhar só os pés é suficiente. Em Deus, em sentimentos, em sonhos.

Você nunca vai entender porque as pessoas não vivem em plenitude os sentimentos, porque elas não são sinceras e claras e porque tudo é tão mais complicado que deveria realmente ser. Mas a Bíblia diz: não vos conformeis com esse mundo. Então não se conforme com tudo que é raso de amor e de Deus.

Tudo bem se afligir.

E se seu coração se afligir, entenda que é parte do processo e que tudo bem ser humano. Porque no final das contas é isso que somos: humanos. Com sentimentos bagunçados, com dúvidas e faltas que precisam ser preenchidas com o amor de Deus. Se tudo fosse muito bem resolvido dentro do nosso coração tomaríamos o lugar de Deus e não temos nenhuma capacidade pra passar nem perto disso. Então tudo bem ser humano. Tudo bem se afligir de vez em quando. Tudo bem não entender os processos e se questionar por eles. Tá tudo bem. Você não é de ferro, você é só um filho com saudade de casa.