foto mostra mistura de duas fotos em uma arte cristã

Arte cristã: Manifeste o Amor!

Por muito tempo eu vi a arte cristã como algo até meio distante. Arte pra mim era uma peça de teatro, uma pintura abstrata e uma dança contemporânea. Acredito que isso se tornou concreto na minha cabeça porque a igreja demorou a ver a arte como meio evangelístico. Não que não houvesse arte nas igrejas. Mas elas quase nunca eram autênticas. Se repetiam, eram muito parecidas e o mais longe da visão que tínhamos da arte do mundo possível. Mas qual o problema de usar o que está lá fora para tocar aqui dentro? Foi o que sempre pensei. Por que a arte da igreja não pode ser ousada, autêntica e diferente? Não seria esse o único jeito de alcançar definitivamente pessoas pela arte?

Arte cristã como instrumento

Talvez a dificuldade de trazer a arte que vemos no mundo para as igrejas como forma de manifesto cristão seja porque o conceito de arte seja muito amplo pra todos e aí, acabamos nos perdemos em o que podemos oferecer de arte nas igrejas. A verdade é que muitas coisas e filósofos tentaram definir o que arte. Platão e Aristóteles definiram arte de maneiras diferentes mas os dois englobaram quase tudo.

Porque na real arte é tudo, é sonoro, é movimento, é reflexão, é expressão, é um punhado de coisas que consegue, em perfeição, demostrar tudo que está dentro do seu coração. E bom, se dentro dele transbordar amor por Deus é isso que sua arte fará. Para entender um pouquinho mais sobre o conceito exato de arte você pode ler aqui.

O que acontece é que quando temos certeza de quem somos em Deus e do nosso papel influenciador ( tem um texto falando sobre isso no blog), tudo que sai de nós passa a ser duas coisas: arte e manifesto do amor de Deus. O que não podemos fazer é deixar de lado a arte que nosso coração inspira e expira. E nosso coração é cheio de arte e faz parte do chamado específico de Deus pra nossa vida descobrir qual a arte que há em nós que pode, de forma única e clara, manifestar quem Jesus é.

Precisamos entender que tudo arte. Eu descobri que a minha maior arte tem a ver com a escrita assim como com a fotografia. Tem gente que desenha bem, canta bem, dança bem, faz artes manuais enfim, há um pouco de arte em cada um de nós.

E por que eu acredito que a igreja ainda tem uma barreira com a arte?

Porque eu acho que poucas pessoas ousam em suas artes pra Deus. A igreja tem medo de ficar parecida com o mundo enquanto tudo que há foi criado por Deus, então antes de ser “do mundo”é Dele. A música não é do mundo. Nem as fotografias, os textos, as pinturas. Também não são os filmes, as peças de teatro, os trabalhos manuais. Nada é do mundo, tudo é de Deus. Precisamos tomar como nosso aquilo que foi dado por Ele.

Esse texto é mais pra te fazer refletir sobre a arte que há em você que pode refletir o amor de Deus e pra te fazer ser OUSADO nela. É a ousadia que faz o mundo querer conhecer Jesus. É aa loucura das coisas que Ele faz e de quem Ele é que faz as pessoas se interessarem por um amor sem julgamentos, cobranças e que de quebra ainda dá liberdade em todos os sentidos!

Se é a loucura que atrai – e convenhamos que é bíblico porque “Deus fez as coisas loucas desse mundo para confundir as sábias”- seja louco também. Faça mais do que o mundo espera que “você pode fazer por ser cristão”. Saia da caixa! Vá !

Para te inspirar, fica um vídeo de um clipe da Priscilla Alcantara que tem feito ARTE PRA JESUS DE UMA MANEIRA INCRÍVEL que tem alcançado pessoas dentro e fora das igrejas. É isso que arte cristã faz: une!

 

amigo influenciador conversando sentados com um café

Influenciador ou influenciado pelo meio ?

Quem é você diante de Deus? Você é um influenciador ou alguém influenciável ?  Você é alguém que influencia as pessoas ou é facilmente influenciado por elas? Você é aquela pessoa que muda o ambiente que está ou aquela que é facilmente mudado pelo ambiente ? Você busca se adaptar aos lugares ou seus valores são imutáveis?

Por muito tempo eu fiquei presa no que poderia ou não fazer, onde poderia ou não ir. E aí eu percebi que tudo isso era medo de que o ambiente me influenciasse. De que, de alguma forma, eu me tornasse “menos cristã”. E isso acontece quando não temos certeza de quem somos, não nos enxergamos completamente refletidos em Deus e através Dele. Porque não há como diminuir o que você é, e se você é cheio de Deus e tem total certeza disso, os ambientes não te influenciam mais e sim, você se torna um influenciador dos meios. Independente de quais!

Caráter influenciador e mente centrada em Deus

O autoconhecimento é um dos principais fatores que te ajudarão a saber quem você é em Deus. Saber isso muda muita coisa. Na verdade não, saber isso muda TUDO!

Quando você descobre que, não importa onde você esteja, se souber totalmente quem é e os sonhos e planos de Deus pra sua vida, você se torna um influenciador e todo o resto não importa. Não importa lugares, pessoas, julgamentos e olhares: é entre você e Deus e ELE BASTA porque você sabe quem Ele é e quem você é Nele.

E sabe qual a diferença disso? Você não tem mais medo de ser menos cristão e nem dos olhares que possam te julgar e, muito menos, dos lugares que possam te influenciar. Você não é influenciável mais, você passa a ser um influenciador!

Vida com Deus não é sobre o que pode e o que não pode

Pare de pensar que sua vida com Deus está baseada no que você acha que pode ou não fazer. Vida com Deus não é isso, vida com Deus é relacionamento! E sabe o que é relacionamento? Relacionamento é deixar que Ele te mostre até onde ir. 

Deus é Deus de liberdade. Liberdade é não olhar pro outro e sim pra cruz. É de lá que deve vim todas as suas perguntas e principalmente suas respostas. Deus não divide as pessoas como aptas ou não para recebê-Lo, quem faz isso somos nós.

Então, abra sua mente e comece a levar mais de Deus independente dos lugares. Deixe de lado toda religiosidade que tenta te fazer sentir medo de ser menos cristão. Se você ainda tem medo de se perder, sinto em dizer que você ainda não se achou completamente Nele. Quem conhece a Deus verdadeiramente não corre o risco de se perder porque Ele é tudo que você tem!

Não devemos ter medo do mundo, precisamos ter medo de nos envolvermos em uma bolha e não ir ao mundo! Eu não consigo enxergar que pessoas que são sal da Terra e luz do mundo conseguem dar sabor onde só tem sal e muito menos iluminar em meio a claridade ( Mateus 5). É hora de ir!

Viva em abundância!

É hora de deixar preconceitos de lado e viver de verdade! Jesus veio para que tivéssemos vida e vida em abundância, como diz em João 10. Por isso, não podemos apenas sobreviver! É preciso começar a viver! Ser sal e luz onde não há claridade! Viver de verdade tendo certeza de quem nós somos. Identidade é entender a paternidade e entender a paternidade é ser LIVRE! Ah, e saber o que é ser livre ? Ser influenciador e não influenciado pelos meios!

Pare de ter medo de se perder, se encontre Nele e vai levar sua identidade pro mundo!

Amor próprio: 05 coisas que você precisa saber

Hoje falamos muito sobre amor próprio e ao mesmo tempo somos cobrados constantemente a viver esse conceito. Ele é induzido quase goela abaixo. A verdade é que o caminho do amor próprio e autoestima é longo e demorado. Não aparece do dia para a noite. Mas ainda assim é um processo de libertação e todo processo de libertação é positivo. Nesse caminho você terá algumas lições:

01- Não é sobre como as pessoas te vêm, é sobre como você se vê

Muita gente fala: ” nossa, mas você é tão bonita (o), tem que se amar!”, o negócio é que amor próprio e principalmente autoestima não está ligado à forma que as pessoas te veem e sim, à maneira como VOCÊ se vê. Não está intimamente ligado a elogios mas sim em que, apesar dos elogios, você mesmo não se enxerga como as pessoas te enxergam e acaba se sentindo inferior, incapaz e despreparado a amar algo que não admira: você.

Dizer que uma pessoa é bonita pra ajudar na autoestima não resolve muita coisa. Melhor que olhar pro exterior é elogiar o interior de alguém que está no processo de autoaceitação. Provavelmente, ela vai achar que o elogio a beleza no geral é da boca pra fora – porque ela não enxerga da maneira que você enxerga – enquanto o elogio a algum feito vai ganhar um espaço especial.

02- Você não merece ser amado só se se amar primeiro

Escutamos muito por aí que só podemos ser amados quando nos amamos. Só encontraremos o amor da vida quando estivermos completamente bem e feliz sozinhos e com tudo que somos.

Mas o que acontece é que, ao falar isso pra uma pessoa com baixa autoestima, só reforçamos ainda mais dentro dela a ideia de que ela não merece amor. E ao mesmo tempo vamos contra todo discurso de amor que nos mostra que Deus nos ama apesar da nossa fraqueza. Ou só merecemos o amor Dele quando estamos completamente sarados e curados? Não! A Bíblia nos diz que Deus nos amou quando éramos ainda falhos, como diz em Romanos 5:8.

Se Deus – que é perfeito –  nos amou na nossa imperfeição, porque nós, imperfeitos não podemos amar outros tão imperfeitos quanto nós? 

Quando continuamos falando que só seremos amados quando nos amarmos estamos dizendo pro outro que é fácil, “SE AMA AÍ” e sabemos bem que não é assim.

03- Amor próprio não é egoismo. Mas não é fácil entender isso.

Outra coisa que repetimos por aí é que amor próprio não é egoísmo e tudo bem se escolher primeiro. Geralmente, quem tem problema com isso sabe de cor essas frases, o problema é aplicá-las.

Mesmo sabendo que deveria se amar primeiro a pessoa tem tanta dificuldade em fazer isso que não consegue. É simples e doloroso então não continue repetindo frases clichês: ela conhece todas, só não consegue aplicar.

04- Baixa autoestima é reflexo da busca pela perfeição

A baixa autoestima está intimamente ligada à cobrança excessiva. Quando a pessoa se enxerga de maneira distorcida, na maioria dos casos é porque busca uma perfeição inalcançável e aí não falamos apenas da busca pela perfeição do corpo ( que pode gerar um transtorno alimentar) mas também em relação a tudo. A nunca se sentir completamente suficiente pra alguma coisa ou alguém. Seja suficientemente inteligente, engraçado ou qualquer outra coisa.

A busca pela perfeição – que não existe – faz com que a pessoa se cobre cada vez mais e se enxergue cada vez menos.

05- É um processo e tem recaídas

Entre as coisas mais difíceis de entender sobre processos é que eles tem altos e baixos. E levam tempo. A busca pela autoaceitação e autoestima são processos que exigem um passo de cada vez e por isso podem gerar recaídas. Recaídas apesar de dolorosas são boas e tudo bem acordar um dia mal.

Não somos robôs e não conseguimos programar nossas emoções. Mas, sobretudo, as recaídas nos fazem levantar de novo e essa é a maior beleza dos processos.