Intervenção militar: NÃO podemos aceitar

O que vemos por aí são pessoas extremamente perdidas. A mobilização dos caminhoneiros, que tem sido justa e pacífica e eu posso te provar aqui e tem gerado um reboliço em todas as esferas da sociedade. Mas, meus amados, eu tenho que te dizer que se você é cristão, você não pode ficar por aí pedindo intervenção militar. SE VOCÊ É HUMANO NÃO DEVERIA ESTAR NEM COGITANDO ESSA IDEIA.

Sabe porque? Porque historicamente a intervenção militar MATA milhares de pessoas. E se você é cristão e pensa que “bandido bom é bandido morto” então nem quem Jesus é você sabe.

Mas o que é intervenção militar?

Bom, é quando os militares assumem o poder e isso implica que NÃO EXISTE DEMOCRACIA, nem liberdade de imprensa e caso necessário, tortura. Voltamos para 1964 ? Provavelmente com a intervenção sim. O problema é que em 1964 vivemos uma ditadura!

A ditadura levou muitas pessoas à morte e não estamos falando apenas de contrários aos militares! Estamos falando de CRIANÇAS, BEBÊS, MULHERES GRÁVIDAS, ARTISTAS, ESTUDANTES. Tudo isso é muito bem exposto e explicado em alguns filmes brasileiros. Espero que eles mudem  sua visão e te façam começar a enxergar esse período como de massacre. É isso que a intervenção militar foi.

Se você ouvir algumas músicas também vai perceber o quanto esse período foi assustador e de muito medo. Artistas eram torturados e exilados por escreverem músicas contra a ditadura. (Censura de imprensa que chama.) Nas escolas e faculdades sempre havia algum encarregado do governo para VIGIAR se algo contra a ditadura era falado. Aí você me diz, é nesse espírito de medo e tortura que desejamos que nossa família, amigos e toda a população viva?

Mas porque não podemos aceitar quanto cristãos?

Não podemos aceitar quanto humanos porque foi um período horrível. Mas quando nos tornamos cristãos é porque queremos seguir os passos de Jesus. Se você conhece o mínimo de quem Ele foi vai saber que Ele amava as pessoas. E amava demais.

E o amor e o assassinato não andam juntos. O amor e a censura também não. O amor e a opressão também não. Minha lista poderia seguir infinitamente para dizer o que da intervenção não tem absolutamente NADA  ver com os ensinamentos de Jesus.

O que dizem pra defender e NÃO PODEMOS ACEITAR

1- Só foram torturados reacionários 

O que se ouve bastante por aí é que, as pessoas torturadas pela ditadura eram REACIONÁRIAS. Eram pessoas de CARÁTER DUVIDOSO. Mas vamos lá, o torturado político mais novo tinha 2 anos. Reacionário. Caráter duvidoso. Eu te convido a ter CORAGEM de assistir esse vídeo e não ficar mal.

 

Aqui você consegue ver outras torturas feitas em crianças.

2 – Não há corrupção com os militares

Não dá pra ficar nessa de que não houve corrupção no período de ditadura militar. HOUVE. Houve muita. A ditadura foi instituída. Não havia liberdade de imprensa porque será ?

Confira aqui alguns dos crimes de corrupção desse período. 

3- As pessoas de bem   não sofreram

Para saber um pouco mais dos atos institucionais impostos com os militares e que fizeram “pessoas de bem” serem atingidas, olhe aqui.

Talvez você ainda saiba pouco ainda sobre ditadura/ intervenção e período militar. Mas eu te ajudo com links!

  • Site para não nos esquecermos o que foi a ditadura com memórias da época: clica aqui.
  • Documentário completo sobre:

Mas o que eu queria mesmo que você quanto cristão soubesse é que, se você condiz com qualquer um desses comportamentos e atos, então você não entendeu o que é graça e o que é amor e muito menos quem é Jesus.

Ansiedade não é falta de Deus

Talvez você já tenha ouvido muito falar por aí que ansiedade é falta de Deus. Talvez você já tenha falado isso pra alguém ou talvez, no auge da sua crise de ansiedade e dos seus momentos de angústia, tenham falado isso pra você. Ansiedade não é falta de Deus.

Ansiedade não é falta de Deus

Ansiedade é uma patologia. Patologia significa doença e ansiedade é uma das doenças mentais. O problema de falar sobre doença mental é que as pessoas acham que elas são curadas com força de vontade e oração. Eu acho sim que a oração cura TODAS as coisas. Mas doenças também são curadas com tratamentos. Tratamentos também são uma forma do cuidado de Deus com a nossa vida e não é vergonha nenhuma procurar ajuda. Aliás, quando quebramos o pé, oramos pra que o osso volte ao lugar ou vamos atrás de um hospital? É exatamente isso que deve acontecer com as patologias mentais.

Deus não quer que a gente fique preso a algumas amarras só por conta da lei. Quando falo isso, quero dizer que Deus espera também que a gente tente resolver os nossos problemas com os recursos que temos em mãos e que, de certa forma, também foram entregues por Ele. Se Jesus veio pra cumprir toda lei, Ele também veio pra que tivéssemos cura.

Mas então, o que é ansiedade?

Se ansiedade não é falta de Deus, precisamos entender o que ela é. A ansiedade é, antes de tudo, uma reação normal e inerente ao ser humano. Ou seja, toda pessoa tem ansiedade. O que difere de um Transtorno de ansiedade generalizada é que o transtorno torna a vida da pessoa muito mais difícil. Ele paralisa, faz tarefas diárias e comuns parecerem muito difíceis de serem realizadas e é completamente involuntário.

Uma pessoa com ansiedade normal, ficará ansiosa em momentos que exigem algum esforço ou expectativa como apresentar um trabalho em grupo, uma entrevista de emprego, uma viagem. E isso é normal e até um sentimento bom pro corpo. O problema é quando a ansiedade não vem com um motivo aparente ou de fácil identificação.

A ansiedade ruim pode causar sintomas psicológicos e físicos, e por isso é extremamente importante buscar ajuda. Porque um dos principais problemas são as crises de pânico, que geram um desconforto gigante e um medo absurdo de lidar com as pessoas quando sua ansiedade está alta.

E como lidar?

A oração é sempre um dos principais caminhos pra resolver tudo na vida. Ela coloca o nosso coração perto do coração de Deus e gera calma, mas ainda assim é preciso buscar ajuda especializada. Se você não pode buscar uma terapia paga, algumas faculdades e prefeituras oferecem as consultas gratuitas ou com um valor simbólico e a terapia pode ser um ótimo passo. Se mesmo assim ainda não der pra buscar tratamento algumas coisas ajudam. Sabia que música reduz em 65% a ansiedade ? A Exame até fez uma matéria com as música, olha aqui. E realmente essa é uma das principais coisas que me ajudam. E hoje eu não tenho vergonha alguma de falar da minha ansiedade.

Outra coisa importante – por mais que pareça tão óbvio – é focar na respiração. Inspirar e expirar vai fazer seus batimentos se acalmarem e também fará com que você tire o foco do que você está passando e foque unicamente em respirar. Ajuda demais!

Sabe também o que é importante? Conversar com as pessoas sobre isso. Quando você tenta mostrar a todo tempo o quão perfeito é, isso te deixa ainda mais nervoso e piora ainda mais sua ansiedade por causa da pressão que você mesmo está se colocando. Quando nos tornamos vulneráveis entendemos que tudo bem não estar tudo bem sempre. Só não podemos deixar que isso seja mais constante que os momentos bons.

Última dica sobre ansiedade

Nunca fale pra alguém com ansiedade que o problema dela é falta de Deus ou de oração. Isso só vai deixar a pessoa pior por estar “magoando a Deus”. O sentimento é horrível e a gente não precisa fazer com que a pessoa se culpe ainda mais, né?

Se você quiser ajudar, não julgar já é um bom passo. Não ver como drama ou bobeira também pode fazer a pessoa se sentir acolhida e mais forte. Nunca se esqueça que ansiedade não é falta de Deus. 

Autoestima e vida com Deus: o que tem a ver ?

Às vezes nós esquecemos que tudo, absolutamente tudo na nossa vida tem a ver com o propósito e com o plano perfeito que Deus tem pra nossa vida. Quando deixamos de pensar que até as coisas dificeis de lidar tem a ver com Deus, paramos de vê-lo em todas as coisas e quando isso acontece nos perdemos completamente do propósito de Deus.

Falo isso porque precisei aprender que todo meu problema com ansiedade e autoestima tem a ver com o chamado que Deus tinha pra mim. Como algo ruim que tinha em mim poderia ser fruto de algo bom ? Bem, porque Paulo quando olha pra sua ferida e vê um espinho não está falando só dele, mas de todos nós. São as nossas feridas porque delas saem poder pra curar. Como podemos falar com propriedade sobre drogas se nunca estivemos perto delas? Como as pessoas que usam droga verão em nós uma chance de mudança de vida sendo que a nossa vida não foi mudada por esse propósito?

Por isso toda pessoa é única e tem suas próprias batalhas, lutas e feridas que geram curas. Só precisamos descobrir quais feridas tem o propósito de gerar vida, em nós e nos que nos cercam.

Chamado específico: um apelo de autoestima ( em todos os sentidos)

Quando comecei a ter uma vida de profundidade com Deus, comecei a buscar por influenciadores que pudessem me ajudar. Comecei a achar pessoas que falavam sobre “chamado específico” e aquilo realmente mexeu muito comigo. Eu comecei a ver que Deus tinha não só um chamado geral que se aplicava pra todas as pessoas ( o chamado do IDE de Marcos 16:15 .) Mas, além e mais profundo que isso < se é que é possível porque o Ide torna todas as pessoas aptas pra cumprir um chamado de Deus >, Ele tinha um chamado específico pra vida de cada um. Esse chamado específico nos mostra que cada pessoa é feita para algo e só ela ( da maneira que ela pode fazer, só ela) pode cumprir aquele chamado.

Isso PRECISA mexeu com o nosso interior e precisa gerar uma busca por conhecer o chamado específico. Imagina quantas pessoas morreram sabendo que tinham propósito mas que pensavam que era um propósito geral, que nunca tinha sido pensado de acordo com as peculiaridades da própria pessoa? Imagina quantas pessoas morreram sem saber que das feridas dela sairiam poder pra curar?

Porque isso gera em nós um apelo de autoestima? Porque nos mostra com clareza que somos únicos. Nenhum outro pode fazer o chamado específico que foi direcionado a nós. NENHUM OUTRO SER HUMANO PODE CUMPRIR O NOSSO CHAMADO ESPECÍFICO. E isso nos torna importantes apesar de sermos pó.

Mas qual o meu chamado específico?

Eu tenho que te contar que meu chamado específico eu descobri em um dos períodos de mais questionamento da minha fé. Em um momento que eu não acreditava no meu valor, apesar de ouvir e pregar sobre o quanto somos importantes para o Pai. Nesse momento comecei a falar pra Deus que, se Ele realmente tivesse um chamado específico pra minha vida, esse era o momento que eu precisava descobri. E bem aventurados são os que buscam respostas em Deus porque eles serão respondidos. E eu fui.

Deus me mostrou com clareza que eu já estava no meu processo de viver meu chamado específico. Deus me mostrou que um dos maiores problemas que eu tinha era de autoestima. Sempre me cobrei excessivamente e aquilo sempre foi (  e é, porque vivemos em um processo constante de evolução e entendimento) uma das coisas que mais me feriram. Mas será que só eu vivia assim ? Obviamente que não. E isso eu comecei a ver não só com o livro que eu escrevi, mas porque Deus sempre dá um jeito de trazer pra perto de nós as pessoas que irão nos ajudar mas que também iremos ajudar.

Coisas maiores

Deus trabalha pra que possamos trabalhar com nosso chamado em todo lugar e uma das formas de Deus trabalhar é colocando as pessoas que precisam da cura que agora nós sabemos que podemos gerar. Falar que nós geramos cura não é anular o poder de Deus porque é em nome Dele que fazemos todas as coisas e além disso porque Jesus falou que faríamos coisas maiores que Ele fez. ( UAU João 14:12)

Por isso devemos buscar as coisas que Jesus tem pra fazer sem nos contentarmos com o que Ele já fez. Eu, quando entendi que meu chamado era sobre autoestima e a relação dos transtornos alimentares, eu entendi que meu propósito era ainda maior que pregar sobre Jesus, mas era ajudar as pessoas a se enxergarem como Ele enxerga: tão únicos a ponto de direcionar uma missão que só a própria pessoa pode cumprir.

Isso me torna uma pessoa sem problemas de autoestima? Não. Mas isso me torna alguém que, de tanto querer buscar um melhor caminho também quer oferecer um melhor caminho!

Fique em silêncio

Sabe, as vezes o que  a gente precisa é simples: ficar em silêncio. E não, não é desligar os fones. É ficar mudo para o que é externo e eu, particularmente, sempre vi a música como algo de dentro. Mas o silêncio é necessário pra ouvir o que sai de dentro. Quantas vezes ficamos realmente sozinhos com quem somos? Quantas vezes olhamos pro que há em nós, sem os barulhos externos e nos sentimos confortáveis com isso?

Porque é difícil estar com a gente. 

É difícil ouvir algumas verdades dentro de nós. É difícil lidar com os nossos traumas, medos e frustrações quando ficamos sozinhos e só temos a nós mesmos. Mas no final das contas é só isso que temos: o que está dentro de nós. As coisas boas e ruins que juntas formam tudo que somos, que amadurecemos e o que ainda seremos.  Ficar com a gente é difícil porque no final das contas só nós sabemos tudo que há em nós. E só nós sabemos que não somos feitos de sentimentos bons e esperança todo tempo. Mas tudo bem. Ser humano também nos faz não ser perfeitos. E a perfeição na verdade nem tem muita graça.

Estar em silêncio é autoconhecimento.

Pra que a gente se conheça é preciso tempo, espaço e intimidade. Tem hora que só nós podemos conversar com o nosso coração, os nossos sentimentos e tudo de bonito, feio ou estranho que está em nós. Tem hora que pra que as coisas, as relações e os sonhos aconteçam como queremos, precisamos saber quais os sentimentos mais reais que existem em nós. Precisamos saber porque eles existem. Porque cada pessoa é o acumulo de sentimentos, sejam eles resolvidos ou não. Mas disso tudo, pra saber as raízes é preciso se olhar, se acolher e se escolher. É preciso silenciar o resto de vez em quando pra olhar pra dentro. Não tem nenhum problema nisso. Na verdade, é uma obrigação.

Ansiedade que habita em mim

Hoje eu acordei daquele jeito. Aquele jeito que você já sabe: a ansiedade rasgando meu peito. Aquele jeito que você sabe, me faz me isolar e me trancar em mim mesma, me faz ouvir músicas tristes e enrolar freneticamente uma mechinha do meu cabelo.

Daquele jeito que, por mim ficaria sem escovar os dentes, tomar banho, pentear o cabelo e olhar no espelho. O porquê de tudo isso? É que a minha velha conhecida, ansiedade, decidiu aparecer pra uma visita. Tem dias que a visita é rápida mas consegue fazer um grande estrago, causar um belo desconforto próprio da amiga de anos. Tem dias que ela dura o dia todo, desde o café da manhã até os sonhos conturbados e aí, você vai aprendendo a viver. Não se torna mais fácil mas vez ou outra não é uma escolha.

Mas tudo bem ansiedade, eu penso.

Só que às vezes nem está tão bem assim. Mas eu tenho que fingir pra mim até acreditar e vai ter uma hora que eu vou acreditar. E vai ter uma hora melhor ainda: a hora que eu vou mandar a ansiedade embora. Vou dizer pra ela que não tem mais espaço aqui. Dizer que ela não pode ficar no meu estômago junto com todas essas borboletas que ela me traz. Dizer que eu não quero mais essas mãos frias e as náuseas da sua presença.

Também vou dizer que não quero ficar triste sem saber o porquê. Hoje não. Quem sabe amanhã? Mas hoje não. Hoje não vai ter espaço pras músicas tristes e pra vontade de ir correndo pro banheiro chorar, mesmo que eu não saiba o motivo. Hoje não. Amanhã quem sabe? Mas hoje não vai dar.

Se bem que hoje eu acordei daquele jeito que você já sabe… Então me desculpe se, por um momento, eu passar mais tempo com essa amiga e olhando pra dentro de mim do que enxergando o mundo lá fora. É que hoje acordei daquele jeito que você já sabe.