Deus, que é pai

Eu tenho aprendido muito de Deus. E o que eu tenho mais aprendido e ouvido Ele me falar é que ele é pai. Paizinho, que te pega no colo e te guarda. Que te escuta, te acolhe e te ama. Que te repreende quando é preciso porque o amor está restritamente ligado a repreensão. Ninguém quer ensinar ou fazer melhor alguém que não ama, acredita e tem cuidado.

Ele é pai que não te julga- quem faz isso são os homens santos –  e que quer tornar seu fardo mais leve e suportável. Ele é pai presente, onipotente e amável. Não, Ele não é aquele Deus mandão e bravo que te vê como servo.

Aliás, essa nunca foi a maneira como Ele te viu. Ele te vê como filho. Sabe qual a diferença? O servo faz por obrigação enquanto o filho, por amor. De obrigações, Ele não precisa nenhuma mas de amor, ah, Ele precisa de amor. Ele precisa de amor porque antes de tudo Ele te ama e tudo que é recíproco é melhor né? Ele é o próprio amor.

Deus não é aquele cara chato que te obriga a ser alguma coisa pra ser aceito por Ele, isso quem faz é a religião. Deus é aquele paizão que te ama do jeito que você é e te deixa livre pra descobrir sua identidade. Hoje muitas pessoas se afastam porque nós mostramos mais um Deus que julga que um Deus que ama. As pessoas conhecem mais o Deus autoritário do que um Deus de amor, cuidado e provisão. As pessoas se afastam de Deus e da igreja porque são as coisas que elas não querem ser. Quanta responsabilidade temos em criar nos outros um conceito de Deus que nunca existiu e nunca vai existir.

Isso não é o que Ele é, é o que nosso julgamento em relação ao outro cria para que a gente se sinta um pouco mais espiritual. Deus, sobre todas as grandes coisa que é, é pai. Pai que, não importa quantos erros a gente cometa está esperando de braços abertos, só para ser pai mais uma vez.

CINCO MOTIVOS PARA DESEJAR FELIZ DIA DAS MULHERES

Hoje, dia das mulheres, é importante relembrar algumas coisas que fazem ser tão necessário parabenizar mulheres por uma coisa que deveria ser simples: SER MULHER! Sem dúvidas, não é uma tarefa fácil. Então confira 05 ( pra não escrever  uma tese) motivos para você parabenizar as mulheres da sua vida.

  • As mulheres ainda não têm os mesmos cargos que os homens. Segundo das últimas pesquisas, somente 37% das mulheres tem cargos de chefia. Porque? Bom, os motivos são vários – e os mais toscos possíveis – mas entre eles está que mulheres engravidam e logicamente, tiram licença maternidade. O mais bizarro disso é que se a mulher não tem filho ela é cobrada pela sociedade. Como entender?
  • Não dá pra sair de casa com qualquer roupa. Talvez para os homens seja fácil um dia de calor: põe uma bermuda, uma regata e sai. As mulheres enfrentam muitos problemas quando colocam um short, uma regata e saem. TEMOS MEDO DE SAIR NA RUA. Porque muita gente – homens- pensam que uma mulher merece ser estupradas porque não se portam ou se vestem como eles acham que é o ideal. (?)
  • Não podemos sair de noite e muito menos andar sozinhas. Mais uma vez, para o homem é fácil: precisa sair de casa à noite sozinho para ir em uma farmácia no outro quarteirão? É só ir. Mas as mulheres TEM MEDO de sair sozinha e é importante saber que sair sozinha é ~sem um homem do lado~porque não importa quantas garotas estejam do seu lado. Sempre vão falar: “ Olha, três mulheres sozinhas à noite!” sendo que na verdade não. São três mulheres. Elas não estão sozinhas. E também não estão seguras.
  • As mulheres trabalham e lutam o dobro. Precisam trabalhar, cuidar da casa, dos filhos, fazer comida, serem amigas, mães, esposas… Precisam provar muito mais coisas que o homem já tem direito só por ser homem. Exemplo: um marido que não lava a louça por ser homem. Bom, nunca conheci uma mulher que não lave a louça por ser mulher.
  • Os padrões de beleza são muito mais extremos e restritivos para as mulheres que para os homens, tanto que, apesar de ter homens com transtornos alimentares a proporção de garotas com transtorno alimentar é de 4 garotos para 6 garotas nos últimos anos, sendo que essa proporção já foi de 1 garoto para cada 9 garotas com algum distúrbio alimentar.

    Deu pra entender né amore?

Bom, para entender melhor esses dados, os tópicos estão com links clicáveis que podem te ajudar a estudar mais sobre isso!

WAKE ME UP WHEN PATRIACHY ENDS!

FELIZ DIAS DAS MULHERES PARA TODAS QUE LUTAM, SOMOS UMA, NÃO CONTRA, MAS JUNTAS!

ESPECIAL – GLOBO DE OURO

Moda é protesto!

O Globo de Ouro que premia os destaques da televisão e cinema foi palco de protesto contra o assédio sexual

Por  Gabrielle Barbosa

Está muito enganado quem pensa que moda é apenas sobre qual roupa usar. Moda é a forma de manifestação cultural de um povo, já provava a estilista francesa Coco Chanel quando criou as primeiras calças de alfaiataria e fez a sociedade ficar louca com sua rebeldia já que as mulheres só podiam usar saias e vestidos. Gabrielle Bonheur Chanel, lá nos anos 1913, tentava proporcionar às mulheres os mesmos direitos dos homens: o de usar calças. Sabe-se que hoje, as mulheres ainda buscam seu espaço na sociedade e mais que isso: tentam mostrar que não só tem espaço como também tem vontades, escolhas e tem voz. É a partir dessa ideia que surge o protesto no Globo de Ouro.

 

Time’s Up

Na 75° edição do Globo de Ouro, evento que celebra os melhores da televisão e do cinema norte-americano, as atrizes que cruzaram o tapete vermelho decidiram fazer um protesto chamado de Time’s Up ou “o tempo acabou” em português. O movimento é um fundo de defesa legal que já arrecadou milhões para dar apoio subsidiado a mulheres e homens que foram assediados em seus ambientes de trabalho.

Todas as indicadas à premiação estavam de vestido preto para atrair um olhar contra o assédio sexual e a discriminação em Hollywood e todo o mundo. No último ano, os casos de abuso sexual por parte de produtores, executivos e até atores se tornaram públicos e geraram movimentos para que as vítimas não se sentissem envergonhadas ou amedrontadas ao denunciar o assédio.

Tiffany & Co

A marca de jóias Tiffany & Co se comprometeu em um comunicado à imprensa a doar uma quantia em dinheiro para o fundo por cada celebridade que usou suas peças.

Gal Gadot usou brinco Tiffany & Co de 730 mil reais

LOOKS

Confira agora alguns looks total black – e nem sempre convencionais – que abrilhantaram a campanha e o tapete vermelho:

Angelina Jolie ousou de Atelier Versace. A atriz misturou transparência e plumas em um modelo todo esvoaçante.

Katherine Langford, indicada para o prêmio de melhor atriz com Hannah, de 13 Reasons Why compareceu ao evento com nada mais, nada menos que um vestido Prada.

Millie Bobby Brown, a atriz mirim de Stranger Things escolheu um modelo assinado pela marca Calvin Klein. Millie Bobby usou um vestido com volume na parte superior e mais ajustado – e curto – no resto do corpo. 

 

 (Photo by Jordan Strauss/Invision/AP)

Emma Stone escolheu Louis Vuitton. O vestido da atriz mistura tendências: corte geométrico, renda e transparência em uma produção de sucesso.

Kendal Jenner, escolheu um modelo de Giambatista Valli. O vestido mullet é para mulheres ousadas, como é o caso da irmã Jenner. Kendal escolheu volume e elegância para o look do Globo de Ouro.

P.S: esse texto eu fiz pra publicação da 16 edição da Revista Opaua de Poços de Caldas.

Quando conheci Daiana Garbin

Lembro-me com clareza quando comecei minhas primeiras tentativas de contato com a Daiana. Comecei a mandar várias mensagens no Instagram, no auge da minha ansiedade por resposta. Pra minha surpresa alguns dias depois ela respondeu pra que eu mandasse um e-mail, assim era mais fácil pra que a gente pudesse conversar.

Mandei um e-mail explicando que eu estava fazendo como TCC um livro-reportagem sobre transtornos alimentares e queria ter uma entrevista dela no meu trabalho. É claro que a espera pela resposta quase matou! Mas permaneci firme e dias depois tive minha resposta: Daiana estava me mandando o endereço de seu escritório em São Paulo pra que a gente pudesse conversar. Desde aquele momento, meu coração já estava disparado. Nosso encontro seria dali alguns dias.

Daiana Garbin representava uma força a mais para o trabalho que eu estava fazendo. Desde que comecei minhas pesquisas, uma das primeiras pessoas que achei na internet como influenciadora sobre o assunto, foi ela. Eu me inspirava nela. Ela era jornalista e eu estava me esforçando para também me tornar uma.

Chegando em São Paulo

Eu planejei tudo: chegaria a São Paulo, pegaria dois metrôs, um Uber e estaria no prédio do escritório dela. No final das contas, consegui uma carona e acabei chegando muito mais cedo que imaginava e acabei indo para o shopping para passar um pouco do tempo e para tomar um café que pudesse conter toda minha ansiedade. Preciso confessar que o café não deu conta de cumprir essa função e que cada vez que eu olhava no relógio meu coração batia ainda mais rápido – coisa que eu achava não ser mais possível…

Não posso negar que eu estava com medo: medo de me enrolar toda e não conseguir fazer as perguntas que eu precisava para produzir um capítulo inteiro do meu livro, medo de que as perguntas não fossem assim tão interessantes, medo de que ela fosse seria e respondesse muito brevemente as questões, medo de milhares de coisas… Mas eu ia com medo mesmo. Isso já havia sido decidido antes que eu saísse da minha cidade.

Como o shopping era pertinho do prédio de seu escritório, resolvi pedir meu uber pra chegar até lá meia hora antes. Era tempo de sobra, já que em São Paulo o carro não demora nem 5 minutos para estar na sua parada. Doce ilusão! Meu uber estava perto mas não sei o que arrumou e começou a ficar cada vez mais distante do ponto que eu estava, me deixando ainda mais nervosa. Precisei cancelar aquele pedido e refazer. O meu motorista chegou bem rápido mas até aí tínhamos 10 minutos para que eu chegasse pontualmente no lugar e no transito de São Paulo, não era uma tarefa muito fácil.

No percurso – e auge da minha amiga tão grudada, ansiedade – contei toda história do meu TCC para o motorista do uber, falei que estava indo entrevistar a Daiana Garbin, que estava me formando em jornalismo… Naqueles minutos, mesmo sem me fazer uma pergunta o rapaz soube de toda minha vida profissional. (Aquele grande beijo pra ansiedade que não deixa a gente ficar quieta.) Alguns minutos depois, estávamos no endereço procurado. O rapaz me desejou boa sorte, sucesso e eu dei nota 5 para ele só por ter me aturado com um sorriso no rosto e desci do carro.

Entrei no prédio, fui até a recepção e avisei que estava indo no escritório da Daiana. A moça pediu minha identidade para ter certeza que eu era a Gabrielle que estava autorizada a subir. No elevador liguei o gravador porque sabia que estaria nervosa demais- na verdade já estava- para me lembrar disso.

O encontro com Daiana Garbin

A porta do elevador abriu e eu andei alguns passos até chegar na porta que deveria. Toquei a campainha. Daiana Garbin abriu a porta com um sorriso tão grande e me abraçou forte. Bom, naquele momento não senti mais medo. Ela disse que meu cabelo era bonito e eu falei que ela era maravilhosa. Ela deu um sorriso e perguntou se eu aceitava um café. “Ora Daiana, miga querida, eu nunca recuso um café”, foi o que eu pensei mas só dei um sorriso e respondi que aceitaria.

Daiana me perguntou se eu era da cidade que tinha um doce de leite gostoso, eu respondi que sim e disse que da próxima vez levaria um pra ela.

Tivemos uma longa conversa de quase duas horas, suficientemente completa e rica em detalhes para que eu pudesse escrever o capítulo do  meu livro. Dividi coisas íntimas e acredito que ela também tenha me contado coisas com o coração. Agora espero ansiosamente para o dia do nosso segundo encontro: na Feira Nacional do Livro de Poços de Caldas. Dessa vez, nós duas teremos um livro: eu estarei com o dela e ela ganhará um meu. Momentos assim enchem o nosso coração de coisas boas! A palavra que fica é sempre gratidão. Me sinto grata por viver experiências que só o jornalismo pode proporcionar!

 

Graça: amor imutável

Você já parou para pensar o que é a graça de Deus? O que é “favor não merecido”? É saber que não tem motivos, eu não faço o que deveria, mas Deus me ama! Não por quem eu sou mas por quem Ele é! Não porque eu mereço, mas porque o amor do Pai, é incondicional, não olha as minhas fraquezas, não aumenta e nem diminui.

                NÃO AUMENTA E NÃO DIMINUI NÃO IMPORTA O QUE EU FAÇA.

É amor real, que pega no colo e como um rugido de leão se faz presente em qualquer ambiente. Isso porque você já viu um pai que ama menos o seu filho quando a criança o desobedece? Não, o amor do pai não diminui nem com a rebeldia porque o amor real ama a todo tempo, é paciente e benigno como diz a Bíblia.

Dia desses uma senhora me falou que achava que Deus estava triste com ela e estava a amando menos porque, presa em uma depressão, tinha dias que não conseguia ir à igreja. O que eu fiz foi falar para aquela mulher que não importava o que ela fizesse, o amor de Deus não mudaria. Se ela fosse na igreja todos os dias, uma vez no ano, se ela fosse pastora ou se ela nem se lembrasse de orar: o amor de Deus permaneceria intacto e inabalável. É claro que um pai se alegra quando o filho o visita e a casa de Deus é a igreja mas se o filho não pode ir até sua casa, seu amor não diminui.

Fomos educados a acreditar em um Deus condicional e muitas vezes, mutável. Que nos ama dependendo do que fazemos, dos cargos que temos e do nível de intimidade que temos com Ele. Mas esse não é Deus de verdade. Deus é o Senhor da Graça e a graça não precisa de motivos para existir. Deus apenas é. Deus apenas ama. Independente do que eu faça, continua igual. A toda criatura. Isso é graça: favor não merecido, amor imutável. Deus apenas é. Deus apenas ama. Amor constante que não precisa de motivos, de provas. Deus apenas é. Deus apenas ama.

A vida de ninguém é um Instagram

Ninguém tem a vida que compartilha no Instagram. Ninguém é feliz o tempo todo e ninguém está tão completamente satisfeito com a vida 24 horas por dia.

Aprenda que ninguém posta a primeira foto que tira. Às vezes demora uma dezena de cliques, edições até que enfim se escolha uma foto que vale a pena ser postada. Aprenda também que a maioria dos grandes influenciadores – aqueles que só postam foto em lugares paradisíacos ou selfie perfeitas- usam de ferramentas poderosas de edição e mudam o céu, diminuem o tamanho dos braços, mudam as cores da foto para combinarem com a paleta de cores do feed do Instagram. Nada é exatamente daquele jeito, por trás de toda foto sempre tem um antes e um depois, uma alteração e um trabalhão pra chegar na foto desejada.

Estou falando tudo isso porque talvez como eu, você já tenha parado pra pensar que sua vida é muito monótona dianta da página inicial do seu Instagram. Talvez você tenha olhado as fotos das Angels da Victoria Secret e se odiou um pouco… Talvez você tenha olhado fotos de viagens incríveis e tenha pensado que nunca conseguiria fazer uma daquelas mas não se esqueça: a vida de ninguém é um Instagram.

Todo mundo tem seus momentos de tristeza, angústia e solidão. Estamos sempre em busca de ser mais felizes, mais completos, mais aceitos e todos estamos sempre em busca de autoestima. Isso acontece com todo mundo: comigo, com você ou com a Kendal Jenner.

A dica que é preciosa sempre é usar aquele botãozinho tão querido do Instagram: unfollow. Na maioria das vezes, o mais acertivo e libertador que você pode fazer é deixar de seguir pessoas que se colocam tão imbatíveis e perfeitas. Procure por pessoas vulneráveis, que não tenham medo de postar, além das fotos de viagem para um paraíso tropical, aquelas sem maquiagem logo pela manhã.

Se for preciso, pare de seguir as modelos de passarela, quem sabe assim você se compare um pouco menos com elas? Pare de seguir aquela blogueira que visivelmente usa tanta edição que os lugares mudam completamente. Lembre-se : ninguém é tão perfeito quanto no Instagram.

Música: Demi Lovato

I will tell that I love you, Demi Lovato

O último álbum de Demi Lovato, Tell me you love me, é o mais maduro de sua carreira

Talvez você se lembre de Demi Lovato como a princesinha da Disney. Aquela menininha que fazia Barney e seus amigos ou ainda, na adolescência, a mocinha de Camp Rock. Pior ainda: talvez você se lembre da fase do álbum Don’t Forget, em que Demi Lovato chamava atenção não só pela música mas pela rebeldia… Bom, o novo álbum, Tell me you love me mostra o amadurecimento da carreira de Demi Lovato. Ela aparece agora não mais como uma garotinha mas chega como uma mulher forte e confiante.

O álbum é o sexto gravado em estúdio da carreira da atriz e traz como faixas principais as músicas Tell me you love me e Sorry not Sorry. (Baby I’m sorry, I’m not sorry – repete vinte vezes na cabeça).

 O sexto álbum rendeu só coisas boas: Demi Lovato recebeu dezoito indicações para o Grammy e apesar de não levar o prêmio para a casa recebeu ótimas análises das críticas e vendeu o equivalente a 75 mil cópias do disco só na primeira semana de lançamento. A pegada é de músicas mais animadas e dançantes mas o espaço para as mais calmas permanece intacto com “ Only forever” e “Lonely” .

“You don’t do it for me anymore”, que fala sobre um relacionamento fracassado, “Daddy Issue” que mostra como o relacionamento complicado com o pai afeta também outras partes da vida de Demi e “Ruin the friendship” que fala de quebrar a amizade só por uma noite são músicas com fortes indicativos de grudar na cabeça como um chiclete. Daquelas que você se pega cantarolando sabe?

Parcerias

Demi não está sozinha nessa nova fase musical. A faixa “Lonely” conta com a participação do rapper Lil Wayne. “Instruction” da faixa bônus é uma parceria da Demi Lovato, Jax Jones e Stefflon Don. “No promises” é uma faixa de Cheat Codes com Demi Lovato.

Na onda das músicas latinas, Demi também lançou uma parceria com Luis Fonsi, a dançante Échame la culpa.

Frutos do álbum

Além da indicação ao Grammy, os críticos de música gostaram bastante do trabalho e deram críticas como: “O álbum tem a distinção de ser coeso e é um dos mais fortes lançados em 2017” foi como o portal Ilustrator classificou o álbum de Demi Lovato.

Outra coisa de destaque é que Demi cresceu muito no Spotify depois do lançamento do disco. Passou de quase 9 milhões ouvintes mensais para mais de 34 mil. O boom de crescimento se deve ao sucesso do álbum que promete ser um dos mais marcantes de sua carreira.

Outros projetos

Demi também lançou o documentário “Simply Complicated”. Uma biografia emocionada de sua vida e carreira que mostra os momentos mais íntimos da artista. No documentário Demi relata sobre envolvimento com drogas, bulimia, seu transtorno de personalidade e o difícil relacionamento com o pai que saiu de casa quando ela e as irmãs eram crianças. O documentário está disponível no canal da Demi no Youtube.

Ps:esse post também é pra quem não vai na Tell me you love me Tour aqui no Brasil poder chorar -eu-. 

Ps2: Esse texto eu fiz para a Revista Opaua, de Poços de Caldas, edição 16.